domingo, julho 14, 2024

Assista online “Me Cuidem-se!”: um filme colaborativo sobre o distanciamento social da COVID-19

“Solidãoriedade” é uma palavra que mistura solidão e solidaridade. A expressão foi criada pelo cineasta Bebeto Abrantes para encontrar a energia que ele precisava para lidar com o distanciamento social meio que imposto pela pandemia de COVID-19.

Bebeto, devido à sua idade e limitações de saúde, teve que reinventar sua rotina diária. Ele vive

Bebeto Abrantes

Em isolamento total em um apartamento no Rio de Janeiro, Bebeto se divide entre conversar com os filhos – um de 16 e outro de 20 anos – e as aulas on-line, que ele ministr na Academia Internacional de Cinema.

Foi nesse contexto em que teve a ideia de criar um “filme-processo” sobre a quarentena, ao lado de Cavi Borges, dono da produtora independente Cavídeo, com 66 longas e mais de cem curtas-metragens no currículo.

A data era 21 de março de 2020, uma sexta-feira. Entre uma ligação telefônica e outra durante o fim de semana, os dois escolheram dez personagens, seguindo os critérios de gênero, renda e diversidade etária. “Começamos a receber os materiais três dias depois ”, lembra Bebeto. Cada personagem mostrava como estava se adaptando às suas novas rotinas sob isolamento social.

Cavi Borges

Bebeto garante que não houve reunião cara a cara entre o elenco e a equipe. O material – dividido em duas partes – já foi editado e está disponível nas plataformas digitais. “Estou procurando reinventar tudo o que aprendi aceitando contribuições de todos e não seguindo o processo criativo habitual”, conta.

Bebeto e Cavi planejam disponibilizar um novo curta-metragem a cada 15 dias, totalizando cinco curtas-metragens. Depois, os curtas-metragens serão convertidos em um longa-metragem.

- Advertisement -spot_img

LEIA +

+RECENTES