sexta-feira, julho 12, 2024

Pesquisadores do Ceará e da Bahia apontam os impactos do derramamento de petróleo no oceano

Em 2019, as praias do Nordeste foram tomadas por cerca de cinco mil toneladas de óleo. O dano chegou a nove estados do Nordeste e dois do Sudeste – Rio de Janeiro e Espírito Santo. O desastre ambiental foi o mais extenso derramamento de óleo em oceanos tropicais de todos os tempos. Para discutir o assunto, um diálogo online vai reunir especialistas do Instituto de Ciências Marinhas da Universidade Federal do Ceará (LABOMAR), da Universidade Estadual do Ceará ( UECE), da Universidade Federal da Bahia (UFBA), da Florida State University (FSU) e do Woods Hole Oceanographic Institution (WHOI).

Entre os assuntos a serem discutidos estão os impactos socioeconômicos e aspectos técnicos da dispersão de óleo no Ocenano Atlântico.

O diálogo é uma promoção do AIR Centre – Atlantic International Research Centre, um centro de pesquisa de altíssimo nível que se propõe estudar as possibilidades ambientais e econômicas do Oceano Atlântico. O centro está realizando uma série de webinars chamada de AIR CENTRE NETWORKING FRIDAYS 2021. Todas as discussões estão sendo publicadas no canal deles no Youtube.

O evento está previsto para o dia 23 de abril de 2021, a partir de 10h (horário do Brasil). Para se inscrever é preciso preencher um formulário no link https://us02web.zoom.us/webinar/register/WN_x-oxDbMIQ_-NIDdZe8YHLQ.

PROGRAMAÇÃO

  • Discurso de abertura, com Maria Ozilea Menezes ( LABOMAR)
  • 10h05 – Apresentações aos palestrantes, com Gabrielle Melo (LABOMAR)
  • 10h10 – Introdução ao derramamento de óleo no Brasil de 2019-2020 e seus impactos ambientais e socioeconômicos 
    • Marcelo de Oliveira Soares (LABOMAR)
    • Samuel Façanha (UECE)
  • 10:30 – Dispersão de derramamento de óleo no Atlântico Sul
    • Carlos Teixeira (LABOMAR)
    • Guilherme Lessa (UFBA)
  • 10h50 – Características químicas do derramamento de óleo 
    • Gabrielle Melo (LABOMAR)
    • Rivelino Martins (LABOMAR)
    • Chris Reddy (WHOI)
    • Ryan Rodgers (FSU)
  • 11h20 – Perguntas e respostas, com Gabrielle Melo
  • 11h55 UTC – Discurso de encerramento, Maria Ozilea Menezes

RELEMBRE O CASO


INVESTIGAÇÕES INCONCLUSIVAS

Até agora, a Marinha do Brasil não chegou a nenhuma conclusão sobre os possíveis responsáveis pela tragédia ambiental. De acordo com o Centro de Comunicação Social da Marinha, “a investigação confirmou que o óleo é de origem venezuelana, o que não significa que ele tenha sido lançado por navios ou empresas daquele país”. A investigação segue em sigilo, segundo informações oficiais.

- Advertisement -spot_img

LEIA +

+RECENTES